PM é preso por suspeita de participação na morte de carteiro em Itamaraju - JITAÚNA EM DIA

EM DESTAQUES


Itagibá: Homem morreu por atropelamento na BA-650; corpo foi encontrado minutos depois

Foto: Reprodução/Giro Ipiaú Um grave acidente ocorrido na  BA-650,    por volta das 21h desta sexta-feira, (01/03)  trecho que liga Itagibá ...

06/09/2023

PM é preso por suspeita de participação na morte de carteiro em Itamaraju

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Dois suspeitos de envolvimento na morte de um funcionário do Correios, que foi morto a tiros enquanto realizava entregas no município de Itamaraju, no extremo sul da Bahia, em agosto deste ano, foram presos na manhã desta quarta-feira (06). Entre os presos está um policial militar. Um terceiro suspeito segue sendo procurado.

As prisões foram realizadas por agentes da Polícia Civil da delegacia do município, e da Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Teixeira de Freitas).

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Além das prisões, a polícia cumpriu mandados de busca e apreensão nas casas dos suspeitos. Foram apreendidos celulares, dinheiro e documentos, que devem ajudar nas investigações. No início das investigações, o delegado responsável pelo caso, Gilvan Meireles, alegou que a vítima estaria devendo uma quantia de dinheiro a vários agiotas. O valor não foi divulgado.

A dupla foi encaminhada para a sede da Delegacia Territorial (DT) de Itamaraju, onde estão custodiados à disposição da Justiça. O material apreendido será encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), para ser periciado.

Foto: Reprodução/TV Bahia

O carteiro Marcos Silva de Jesus, de 44 anos, foi morto a tiros enquanto realizava entregas, no dia 16 de agosto deste ano. Segundo a polícia, dois homens armados abordaram Marcos e efetuaram os disparos.

Na ocasião, os Correios, empresa onde a vítima trabalhava, divulgou que não havia indícios da relação entre o crime e a atividade profissional de Marcos de Jesus. Ele foi enterrado no dia 17 de agosto, na mesma cidade onde ocorreu o crime. *Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário