PM que agrediu mulher e levou garrafada pode ser demitido após responder Processo Administrativo - JITAÚNA EM DIA

EM DESTAQUES


Avô é preso sob acusação de estuprar netas e engravidar uma delas em Bom Jesus da Lapa

Foto: Achei Sudoeste Um homem de 64 anos foi preso, nesta quarta-feira (10), acusado de estuprar duas netas em   Bom Jesus da Lapa . O manda...

08/03/2024

PM que agrediu mulher e levou garrafada pode ser demitido após responder Processo Administrativo

Fotos: Ubatã Notícias

O Comandante Geral da Polícia Militar da Bahia, Paulo Coutinho, determinou a abertura de Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra o 1º Sargento PM Denilson Barbosa Santos, lotado na 33ª CIPM/Valença. A portaria autorizando a abertura do PAD foi publicada na última segunda-feira, 04, e visa apurar o episódio envolvendo o policial e uma dona de casa num bar de Travessão, distrito de Camamu, no dia 28 de fevereiro. O caso ganhou repercussão nacional após o policial agredir a mulher e levar uma garrafada na cabeça (lembrar e lembrar).

Conforme o texto presente na portaria de abertura do PAD, “o acusado, estando de serviço, utilizando uniforme alterado da Polícia Militar (chinelo, camisa interna fora do padrão, sem gandola no serviço operacional), com um copo em uma das mãos contendo um líquido “amarelado”, durante uma abordagem a um bar, teria perpetrado um tapa na Sra. Domingas de Jesus Almeida, após esta insinuar que ele estava ingerindo bebida alcoólica, que repelindo a agressão sofrida arremessou uma garrafa de vidro no 1º Sgt PM DENILSON”.

O texto ainda continua: “Ademais, em ato contínuo, no exterior do estabelecimento, efetuou disparo de arma de fogo em via pública para o alto e conduziu a Sra. Domingas à Delegacia Territorial de Valença, onde foi registrado o Boletim de Ocorrência n.º 00144153/2024-A01. Além disso, espancou a Sra. Domingas na saída da delegacia provocando-lhe sérias lesões na face e outras partes do corpo. Fato ocorrido em 28Fev24, Camamu/BA”.

A portaria ainda determina  que policial fique em expediente administrativo diário, afastado do exercício de suas funções e o proíbe, temporariamente, de usar uniforme e armas pelo prazo de trinta dias, prorrogáveis por igual período. Caso comprovada irregularidades na conduta do policial, podem ser aplicadas penalidades como advertência, suspensão e até demissão. *As informações são do Ubatã Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário