Com 46 votos, desembargadora Cynthia Maria Pina Resende é eleita nova presidente do Tribunal de Justiça da Bahia - JITAÚNA EM DIA

EM DESTAQUES

Notícias em destaque.

Assista a transmissão ao vivo da 3° noite do São Pedro de Jitaúna

O São Pedro de Jitaúna está sendo transmitido ao vivo para todo o Brasil pelo Canal Tech System no YouTube e pelo site   www.jitaunaemdia.co...

15/11/2023

Com 46 votos, desembargadora Cynthia Maria Pina Resende é eleita nova presidente do Tribunal de Justiça da Bahia

Cynthia Maria Pina vai suceder Nilson Castelo Branco. (Foto: Sérgio Figueiredo/ Bahia Notícias)

A desembargadora Cynthia Maria Pina Resende é nova presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Ela foi eleita com 46 votos e vai suceder o desembargador Nilson Castelo Branco no comando da Corte. A disputa afunilou entre ela e Pedro Augusto Costa Guerra, que recebeu 15 votos. Houve ainda um voto em branco.

Outros desembargadores que também estavam no páreo desistiram na abertura da sessão desta terça-feira (14). São eles: José Edivaldo Rocha Rotondano, Maria de Lourdes Pinho Medauar, Baltazar Miranda Saraiva. As desembargadoras Gardênia Pereira Duarte e Nágila Maria Sales Brito deixaram a corrida antes mesmo da sessão ser aberta.

Ao todo, 63 desembargadores estão aptos a votar na sessão desta terça. Outros cinco estão afastados e não participam: Maria do Socorro Barreto Santiago, Ilona Márcia Reis, Sandra Inês Rusciolelli, Lígia Maria Ramos Cunha Lima, Luiz Fernando Lima.

indicativo para a escolha de Cynthia já havia sido revelado pelo Bahia Notícias com informações de interlocutores dos desembargadores baianos. A última presidente mulher do Tribunal baiano foi a desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, durante o biênio 2016-2018.

A eleição da nova mesa diretora começou às 9h50 desta terça-feira (14), durante sessão do Pleno. A eleição é para o biênio 2024-2026. Além da presidência, os desembargadores vão votar para outros cinco cargos: 1º vice, 2º vice, CGJ, CCI e Ouvidor.

Resende, que tem 67 anos, chegou a disputar a eleição para o biênio 2022-2024, quando não recebeu votos para o cargo de presidente e a cadeira ficou com Castelo Branco. Anteriormente ela também concorreu ao biênio 2020-2022, tendo sido derrotada pelo desembargador Lourival Trindade com a diferença de apenas um voto. Com informações do site Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário