SUS gastou mais de R$ 17 milhões com pessoas feridas a bala na Bahia - JITAÚNA EM DIA

EM DESTAQUES


Homem é esfaqueado por companheira enquanto dormia; crime ocorreu na região sisaleira

Foto: Reprodução / Calila Notícias Um homem foi esfaqueado pela companheira na noite desta quinta-feira (16) em   Araci , na região sisaleir...

11/04/2024

SUS gastou mais de R$ 17 milhões com pessoas feridas a bala na Bahia

Crédito: Arisson Marinho/Correio

O Sistema Único de Saúde (SUS) gastou R$ 17,5 milhões para atendimentos hospitalares a pessoas feridas por bala na Bahia em cinco anos, entre 2019 e dezembro de 2023. No mesmo período, quase R$ 61 mil foram destinados para atendimentos ambulatoriais. O valor que custeou os atendimentos de vítimas de arma de fogo é o equivalente ao orçamento de cerca de doze requalificações de Unidades de Terapia Intensiva UTIs no Hospital Geral de Camaçari (HGC).

De acordo com dados divulgados no portal oficial da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), o governo desembolsou mais de R$ 1,5 milhão para a readequação de 10 leitos da UTI do HGC. Em maio de 2023, o órgão entregou a estrutura da unidade reformulada. O projeto incluiu o isolamento de um dos leitos, a inclusão de pontos de hemodiálise em todos eles e a requalificação de copa, vestiários, recepção para visitante e postos de enfermagem.

O custo para atender vítimas de arma de fogo costuma ser maior do que o tratamento de outras enfermidades, segundo o presidente do Conselho Estadual de Saúde, Marcos Gemeos. “Os custos do tratamento de ferimentos por arma de fogo podem sobrecarregar os serviços de assistência hospitalar e ambulatorial, o que implica na destinação da verba para esses atendimentos”, afirma.

Com o valor gasto em atendimentos hospitalares a pessoas feridas no estado no período citado acima, seria possível realizar 400.115 mamografias ou 4.252.072 hemogramas completos. Em 2022, a média dos procedimentos custavam, respectivamente, R$ 43,89 e R$ 4 ,13, de acordo com informações do Instituto Sou da Paz, baseadas em dados de produção ambulatorial do Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA). *Ler mais no Correio 24h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário